Home YouTube TikTok Jogos love@antenalove.com.br
VOCÊ ESTÁ NA RÁDIO


Prédio vai ser demolido após muro desabar e matar vendedor de doces em Jaú




Segundo empresa responsável pela demolição, os serviços devem durar uma semana. Paulo Sérgio Ananias, de 49 anos, passava pelo local quando foi atingido pela estrutura. Guindaste chegou no local na manhã desta segunda-feira para início da demolição do prédio em Jaú Thais Andrioli/ TV TEM O prédio que parte do muro desabou e matou um vendedor de doces na última sexta-feira (24) vai ser demolido nos próximos dias. Segundo a empresa responsável pela demolição, os trabalhos devem durar uma semana. A companhia de energia elétrica foi chamada para fazer o desligamento da rede no local. Por volta das 10h chegou um dos guindastes que vai auxiliar no serviço. Agora, só falta a documentação de um engenheiro para que as obras comecem efetivamente. Prédio que parte de muro desabou matando vendedor de doces começa a ser demolido em Jaú Quatro imóveis vizinhos foram desocupados, sendo dois comerciais e duas residências. As famílias estão em um hotel até que seja feita a demolição do prédio, que foi solicitada pela Defesa Civil pelo risco de novos desabamentos. Na última sexta-feira, o vendedor de doces Paulo Sérgio Ananias, de 49 anos, passava pelo local quando parte do muro da antiga fábrica de massas caiu sobre ele. A estrutura também atingiu um caminhão que estava estacionado no local. Não havia ninguém no veículo. Paulo morreu após ser atingindo por parte do muro do prédio no centro de Jaú Arquivo pessoal O enteado da vítima disse que o padrasto tinha voltado há cerca de 2 meses para Jaú depois de anos morando em São Paulo. Segundo Rogério Bispo, Paulo Sérgio sempre trabalhou com vendas, mas sonhava construir uma casa e também outros imóveis para venda e aluguel. Reforma não autorizada Defesa Civil fará demolição total do prédio que parte do muro desabou e matou um homem A prefeitura informou que a empresa responsável pelo prédio entrou com um pedido de reforma, mas as obras ainda não tinham sido autorizadas. Informou também que um fiscal do município esteve no local no dia 16 de setembro e notificou a empresa para que a reforma fosse interrompida. Já a defesa da empresa afirma que a obra era realizada com autorização. Não temos essa notícia de embargo nenhum. A obra estava funcionando normalmente e se não estivesse, teria prosseguido. É um prédio antigo, que estava sendo trabalhado. Mas o que aconteceu realmente só com perícia e bastante análise que se vai poder, atestar e comprovar. Estamos tomando providências que é socorrer a família e dar toda assistência, e cuidar para que o locar seja liberado e famílias do entorno possam ter a tranquilidade restabelecida , diz a advogada Daniela Rodrigueiro. Homem morre atingido por parte de prédio que desabou em Jaú Arquivo Pessoal Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil para investigar o caso. De acordo com o cartório da Central de Polícia Judiciária, o O inquérito ficará sob a responsabilidade do delegado Nelson Henrique Junior, do 1º distrito policial. Para iniciar as investigações, a Polícia Civil informou que vai aguardar os laudos dos peritos para em seguida apontar as pessoas que podem ser intimadas a prestar depoimento. Em análise preliminar feita no dia do desabamento, a Defesa Civil informou que vigas de sustentação foram retiradas e que isso pode ter provocado o desabamento. “Tiraram as vigas do estruturamento. Vigas de sustentação do telhado e veio ficar mais frágil a parte do muro, diz o coordenador da Defesa Civil, Jean Souza. Defesa Civil fará interdição total do prédio Arquivo pessoal/Luizinho Andretto VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM Veja mais notícias da região em g1 Bauru e Marília

Comente:




Legendas

Mais