Home YouTube TikTok Jogos love@antenalove.com.br
VOCÊ ESTÁ NA RÁDIO


Donos de empresa que não entregou respiradores comprados pelo Consórcio Nordeste ficam em silêncio na CPI da Covid no RN




Deputados investigam compra frustrada na pandemia que causou prejuízo de R$ 4,9 milhões ao Rio Grande do Norte. Empresários foram convocados para a sessão como investigados. Investigados ficaram em silêncio em sessão da CPI desta quarta-feira (3) Eduardo Maia/ALRN A dona da empresa Hempcare e o sócio ficaram calados durante toda a sessão da CPI da Covid desta quarta-feira (3) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Os dois foram convocados para prestar depoimentos na CPI na condição de investigados. Os deputados buscam explicações sobre a compra frustrada de respiradores pelo Consórcio Nordeste à empresa Hempcare durante a pandemia. A aquisição, que não foi concluída, custou cerca de R$ 4,9 milhões ao Rio Grande do Norte, por 30 respiradores, e R$ 48 milhões ao Consórcio Nordeste, por 300. O secretário-executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Gabas, também já havia ficado em silêncio quando foi interrogado na sessão do dia 6 de outubro da CPI da Covid. Ele conseguiu o direito de não responder às perguntar na Justiça. LEIA TAMBÉM RN pagou R$ 4,9 mi por respiradores antes de assinar contrato Justiça bloqueia bens de empresa que não entregou respiradores Polícia prende 3 de empresa que não entregou respiradores A dona da empresa foi a primeira a entrar no plenário e informou que não responderia as questões. Como forma do protocolo, os deputados, ainda assim, leram todos os questionamentos antes de liberá-la. Em seguida, o sócio também ficou em silêncio. Os dois chegaram a ser presos em junho do ano passado na Operação Ragnarok, que investiga a não entrega dos respiradores pela empresa após a compra e pagamento do Consórcio Nordeste pelos equipamentos. Ainda na sessão desta quarta-feira (3), a CPI ouviu uma ex-servidora da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) também na condição de investigada. Ela prestou esclarecimentos sobre os contratos da contratação de ambulâncias e de leitos de UTI, que são alvos da CPI. A CPI confirmou também que os trabalhos se encerram na última sessão da Comissão, que será no dia 16 de dezembro. Requerimento para sair do Consórcio Nordeste A CPI também aprovou nesta tarde um requerimento que pede à governadora Fátima Bezerra a saída do Rio Grande do Norte do Consórcio Nordeste. O requerimento foi aprovado por dois votos favoráveis, um contrário e uma abstenção. CPi da Covid no RN Eduardo Maia O pedido, de acordo com o presidente da CPI, Kelps Lima (Solidariedade), teve por base o próprio contrato previsto para o ingresso e os indícios que podem indicar possíveis fraudes no grupo. Sem poder detalhar os argumentos devido a informações sigilosas a que a CPI teve acesso, o presidente disse que são informações que apontam possíveis fraudes e que a própria chefe do Executivo do Estado também teve acesso. Na votação do requerimento, Kelps Lima e o deputado Gustavo Carvalho (PSDB) foram favoráveis à proposta de saída. Já os deputados Francisco do PT, que votou contra, e George Soares (PL), que se absteve, defenderam o Consórcio Nordeste enquanto instrumento capaz de colaborar com as ações dos estados. Para eles, é preciso que se aguarde o fim das investigações antes de atitudes como a saída. Vídeos mais assistidos do g1 RN

Comente:




Legendas

Mais