Ouvir Radio YouTube TikTok Jogos love@antenalove.com.br


MP denuncia dupla por morte de ambulante que reclamou do preço da carne em açougue do RS




Luciano Monteiro e Luciano Ribeiro foram indiciados por lesão corporal seguida de morte pela Polícia Civil. Entendimento do Ministério Público (MP) foi o mesmo. Caso ocorreu no dia 2 de outubro em Alvorada, na Região Metropolitana. Homem é espancado e morto após reclamar do preço da carne em Alvorada O Ministério Público (MP) denunciou, nesta quarta-feira (3), dois homens pela morte de Wagner de Oliveira Lovato, vendedor ambulante de 40 anos que foi morto após reclamar do preço da carne em um açougue de Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Luciano Monteiro, gerente do estabelecimento comercial, e seu amigo, Luciano Ribeiro, foram acusados pelo crime de lesão corporal seguida de morte. O advogado de Monteiro, Gilson DÁvila Machado, respondeu ao g1 que ainda não teve acesso à denúncia, mas deve falar a respeito assim que isso ocorrer. Já o advogado Eduardo Andreis, que representa Ribeiro, disse que se manifestaria posteriormente. Segundo a promotora Karinna Licht Orlandi, os elementos de prova não apontavam que os autores agiram com a intenção de matar a vítima. Foi o mesmo entendimento da Polícia Civil, que indiciou a dupla pelo mesmo crime. Os dois acusados ficaram presos até o dia 29 de outubro, data em que foi concedida a liberdade provisória pela Justiça. Agora, se a Justiça aceitar a denúncia do MP, eles vão responder ao processo em liberdade. Eles não possuem antecedentes criminais. A pena prevista para o crime de lesão corporal seguida de morte é de 4 a 12 anos de prisão. O crime e a investigação Homem foi agredido e morto após reclamar do preço da carne em Alvorada Polícia Civil/Divulgação O caso ocorreu no dia 2 de outubro. Lovato morreu no dia seguinte no Hospital Cristo Redentor, em Porto Alegre, onde estava internado. De acordo com a Polícia Civil, a causa da morte foi traumatismo cranioencefálico em razão da batida da cabeça da vítima no chão. Ele deixou esposa e três filhos, entre os quais um bebê. Segundo testemunhas, as agressões teriam iniciado após a vítima reclamar do preço da carne no estabelecimento. O homem vendia salgados na rua e, após encerrar o trabalho, foi até o açougue. No local, teria feito comentários sobre o preço e ido embora sem comprar nada. Após, um dos acusados teria começado a agredir Lovato no lado de fora. Ele estava acompanhado do gerente do local, que estava de folga, que também foi acusado. Conforme o delegado responsável pelo caso, Edimar de Souza, na esfera penal, o estabelecimento não foi investigado, pois não teria relação com o crime. Na ocasião, o Shopping das Carnes divulgou nota lamentando a morte de Lovato e anunciando o afastamento do funcionário. No dia 2 de novembro, familiares e amigos de Lovato fizeram uma manifestação, em frente ao açougue, pedindo justiça no caso. Familiares e amigos de Wagner Lovato fizeram homenagem um mês após ocorrência Natalin Lovato/Arquivo pessoal VÍDEO: Tudo sobre o RS

Comente:




Legendas

Mais