Estudo confirma eficácia de vacina da AstraZeneca em idosos durante transmissão da variante gama no Brasil









Pesquisa ainda é uma pré-publicação e foi divulgada apenas em plataforma de artigos científicos Medrxiv. Que vacina é essa? Oxford Astrazeneca Um estudo divulgado nesta quinta-feira (22) confirma a eficácia da vacina ChAdOx1, da AstraZeneca, contra a Covid-19 em idosos. O estudo mostra o cenário durante a transmissão da variante gama no Brasil. A pesquisa ainda é uma pré-publicação, divulgada pela plataforma de artigos científicos Medrxiv. Por isso, ela ainda aguarda a avaliação de outros pesquisadores e ainda não foi disponibilizada por revistas especializadas. O trabalho é assinado por pesquisadores de instituições brasileiras, americanas e uma de Barcelona, na Espanha. Veja os principais resultados: 61.164 pessoas, todas com mais de 60 anos, foram selecionadas para a pesquisa e divididas em grupos diferentes; após 28 dias, a eficácia com apenas 1 dose foi de: 33,4% (com variação entre 26,4% e 39,7%) contra a infecção contra a doença; 55,1% contra hospitalização (com variação entre 46,6% e 62,2%); e 61,8% contra morte pela Covid-19 (com variação entre 48,9% e 71,4%); 14 dias após a segunda dose, a eficácia contra a infecção sobe para: 77,9% (com variação entre 69,2% e 84,2); 87,6% contra hospitalização (com variação entre 78,% e 92,9%); e 93,6% contra morte pela Covid-19. Não tínhamos muitos dados para essa população acima de 60 anos com a gama. Tínhamos poucos dados com essa variante, restritos a uma dose no Canadá. Então, é importante a gente entender se as vacinas estão funcionando, comentou Julio Croda, infectologista da Fundação Oswaldo Cruz e um dos autores. Frascos das vacinas Pfizer, CoronaVac, AstraZeneca e Janssen, aplicadas em Porto Alegre Cristine Rochol/PMPA/Divulgação Segundo Croda, a pesquisa apresentou o mesmo perfil de outro artigo publicado nesta quarta-feira (21) pela The New England Journal Medicine. O estudo britânico avaliou a eficácia das vacinas da AstraZeneca e da Pfizer contra a variante delta, ainda em expansão no Brasil. Ao completar o ciclo das duas doses, de acordo com essa pesquisa da The New England, as taxas dos dois imunizantes duplicam e, em alguns casos, quase triplicam contra a delta. No caso da AstraZeneca, a eficácia chega a 67%, com resultados entre 61,3% a 71,8%. Pesquisadores ouvidos pelo G1 afirmam que os dois estudos - o da gama e o da delta - apenas reforçam a necessidade de receber as duas aplicações dos imunizantes. CoronaVac Nesta quarta-feira, também foi publicado um estudo científico sobre a CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan. O trabalho mostrou que a CoronaVac reduziu em 41,6% os casos sintomáticos de Covid-19 em idosos com mais de 70 anos no estado de São Paulo. A pesquisa, feita com 43 mil pessoas entre janeiro e abril, apontou ainda uma eficácia de 59% na redução de hospitalizações e de 71% para mortes provocadas pela doença. O percentual de proteção foi calculado 14 dias após a aplicação da segunda dose da vacina, e variou conforme a idade dos indivíduos. No grupo mais jovem, com idade de 70 a 74 anos, a eficácia foi de 61,8% na proteção contra casos sintomáticos, de 80,1% contra hospitalizações e de 86% contra mortes. Já entre os maiores de 80 anos a eficácia foi de 28% contra casos, 43,4% contra hospitalizações e 49,9% contra mortes. Os autores do artigo afirmam que a pesquisa teve como alvo pessoas com mais de 70 anos porque este foi o grupo que recebeu a maior parte das doses de CoronaVac durante o início da campanha de vacinação. G1 no Youtube